?>

A busca por uma vacina para o Covid19 teve grandes avanços nos últimos dias. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem hoje 160 iniciativas no mundo inteiro para a produção de uma vacina eficaz contra o Coronavírus.

Nesse post você vai saber quais são as três vacinas mais promissoras e quais as expectativas da chegada da vacina no Brasil.

A Vacina de Oxford

A vacina para Covid19 desenvolvida pela Universidade de Oxford teve resultados promissores em sua primeira fase de testes em humanos. Os cientistas da universidade anunciaram nesta segunda feira (20/07) os resultados da pesquisa. Diante dos resultados preliminares, foi concluído que a vacina induziu com eficácia a resposta imunológica contra o vírus nos voluntários, e que ela é segura.

Os resultados dos testes da segunda fase da pesquisa , publicados na revista The lancet, mostraram que essa vacina é capaz de provocar uma resposta imunológica de duas formas. A primeira atua na produção de anticorpos, que atacam o vírus diretamente quando ele circula pelo corpo,  e a segunda na destruição das células já infectadas.

Vacina de Oxford

A reação esperada pelos pesquisadores é que o nosso organismo crie uma “memória imunológica”. Ou seja, que o nosso sistema imunológico se lembre do vírus e, dessa forma, nos mantenha protegidos dele por mais tempo. Porém, mais pesquisas precisam ser realizadas para confirmar a proteção da vacina a longo prazo. Segundo os cientistas, uma segunda dose pode ser necessária para intensificar o efeito dessa vacina.

A terceira fase de testes da vacina de Oxford já está acontecendo em alguns países, inclusive no Brasil. Segundo a OMS, essa é a vacina mais avançada em termos de pesquisa. Os resultados dessa fase serão determinantes para validar a eficácia da vacina em um número maior de pessoas, e concluir se a pessoa vacinada estará imune de fato ao Coronavírus.

A vacina da Rússia

A Rússia divulgou, também nesta segunda feira (20/07), que concluiu a fase de ensaios clínicos de uma vacina para o Covid19. Os testes foram realizados pelo Hospital Militar Central Burdenko, em Moscou, em parceria com o Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya.

O Ministério da Defesa da Rússia informou que os resultados das análises comprovam uma resposta imunológica nos voluntários. Além disso, foi comprovado também que a vacina não causa reações inesperadas ou complicações.

Os voluntários que participaram da pesquisa foram vacinados no dia 23 de Junho, e vão ser submetidos a exames novamente no início de Agosto. Assim, será possível confirmar dos resultados da vacina a longo prazo.

Vacina da China

Outro país que também divulgou seus estudos sobre a vacina para o Covid19 foi a China. O Instituto de Biotecnologia de Pequim realizou a segunda fase de testes da sua vacina e os resultados foram divulgados nesta segunda feira (20/07). Segundo os dados do estudo, publicados revista The lancet , a vacina chinesa também foi capaz de provocar uma resposta imunológica nos participantes da pesquisa. Além disso a vacina também foi considerada segura. Por isso terá início a fase 3, de ensaios clínicos, para avaliar a utilização da vacina em larga escala.

A vacina para Covid19 da China está sendo produzida pela Sinovac Biotec, e será testada em 9 mil voluntários, em 12 centros de pesquisa.

Segundo o prefeito de São Paulo, João Doria, os testes da fase 3 da vacina chinesa acontecerão em seis estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná e Distrito Federal.

Os testes no Brasil serão liderados pelo Instituto Butantan, em São Paulo, e em Minas Gerais os testes serão conduzidos pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Após a autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os testes serão iniciados. Consequentemente, caso seja comprovada a eficácia dessa vacina, a tecnologia de produção será transferida para o Brasil.